dinâmicas de motivação
Gestão de Negócios

Como realizar dinâmicas de motivação para funcionários

A desmotivação no ambiente de trabalho é um grande risco para a saúde financeira das empresas. Funcionários desinteressados, cabisbaixos, indiferentes ou desestimulados apresentam um enorme perigo para as organizações, que devem buscar alternativas efetivas para solucionar o problema.

Geralmente, o processo exige muito empenho de ambas as partes. Afinal, não se sabe de quem é a culpa. Da empresa, por não oferecer boas condições de trabalho, ou do funcionário, que pode estar cansado da função ou insatisfeito com o salário?

Para isso, existem algumas ações de incentivo aos colaboradores, como as dinâmicas de motivação. Elas são atividades interativas que buscam estreitar o relacionamento entre os funcionários e empresa.

Para saber mais sobre a importância da motivação no trabalho e utilização das dinâmicas como medida de solução em sua loja de calçados, continue lendo o post!

Banner para a loja virtual da Daniel Atacado.

A importância da motivação no ambiente de trabalho

A motivação é o ponto-chave na busca de melhorias dentro do espaço profissional. Sem ela, haverá o desinteresse em prosperar, a indiferença em subir de cargo e a omissão nas atividades da função.

Um funcionário alinhado com os ideais da empresa, motivado e determinado em evoluir dentro da organização transmite esse sentimento não só aos companheiros de trabalho, mas aos clientes da loja, que sentem-se mais à vontade com o clima do ambiente.

Funcionário desanimado sentado à mesa do trabalho, com um computador em sua frente.
As dinâmicas são ótimas formas de motivar funcionários e unir a equipe.

Como identificar funcionários desmotivados

Antes de aplicar as dinâmicas, é necessário trabalhar o lado psíquico dos trabalhadores, a fim de identificar a origem da desmotivação. Seria a própria empresa a responsável? Seria o funcionário, que não projeta novos caminhos dentro do próprio espaço?

Listamos cinco sinais para identificar se aquele funcionário está desmotivado. Confira!

1. Comportamento invasivo

Um funcionário desmotivado pode ser invasivo em suas ações no dia a dia, como o desrespeito ao espaço dos colegas de trabalho ou, até mesmo, de clientes e superiores da empresa.

Por não ter mais vontade de exercer sua função na organização, ele se desinteressa pelo “código de conduta e ética” determinado pela empresa. Age, na maior parte das vezes, como um profissional importuno e inconveniente.

Clique para acessar o kit de planilhas de gestão da Daniel Atacado.

Compreenda que, talvez, a conduta seja resultado de problemas pessoais, que estão acontecendo fora da empresa e acabam interferindo na saúde mental do funcionário. Se for o caso, procure um profissional da psicologia para tentar achar a melhor solução.

2. Ociosidade

Preguiça, indisposição e ociosidade ao extremo são sintomas de falta de motivação. Identificar essas características é fácil. Repare quanto tempo o funcionário demora para realizar um procedimento relativamente simples. Note também se suas tarefas diárias estão sendo realizadas.

Homem mexendo no celular durante o trabalho com outro profissional de braços cruzados atrás.
A ociosidade é só mais uma das características da desmotivação.

3. Queixas de outros funcionários

Essa situação é mais delicada, uma vez que o funcionário insatisfeito envolve seus colegas de trabalho. Isso pode resultar em queda de produção, desgaste entre os colaboradores e perda de foco constante.

Nesse momento, não há dinâmica que resolva. É necessário chamar o funcionário para uma conversa franca, em busca de entender a razão do transtorno e das atitudes desrespeitosas passadas pelos colegas.

Não há garantia que isso possa resolver. Contudo, é dever da empresa lidar com esse tipo de situação de maneira isenta e imparcial. Prorrogar ou, no pior nos casos, deixar para que as partes envolvidas resolvam entre si causará sérios prejuízos ao ambiente de trabalho.

4. Faltas frequentes

O aumento considerado nas faltas, justificadas por ausências médicas, pode ser um indício de perda de motivação.

Clique e baixe o ebook com 7 ideias de ações de vendas para lojistas.

Mas antes de tomar qualquer tipo de atitude mais enérgica, considere a hipótese de problemas de saúdes sérios, se o funcionário apresentar os atestados médicos, claro. Para isso, é interessante manter um diálogo aberto e, dependendo da situação, enfatizar algum auxílio da empresa.

5. Má qualidade nas tarefas

Não é difícil notar a desmotivação se o funcionário apresenta baixa qualidade nas tarefas diárias. Se for um colaborador que, tempos atrás, já demonstrou eficiência nas mesmas atividades, isso fica ainda mais evidente.

Mas não se precipite, pois essa situação pode ser resultante de diversos fatores, como a mudança de cargo, de lugar, uma nova mudança operacional da empresa, alta demanda ou até mesmo problemas pessoais.

Entretanto, a desmotivação pode ser por conta de insatisfação com o salário, estagnação profissional ou motivos que nada envolvem diretamente a alçada da organização. Nesse caso, vale a pena bater um papo franco, a fim de discutir o que cada um (empresa e funcionário) pode fazer para que haja novamente o interesse.

Mulher bocejando na frente do computador.
Ficar atento aos funcionários e aplicar as dinâmicas certas em casos de desmotivação é uma forma de auxiliá-los a continuar se desenvolvendo.

Dicas para dinâmica de motivação

Antes de elaborar as dinâmicas para a equipe, lembre-se que algumas atividades podem causar o constrangimento dos funcionários. Compreenda a personalidade de cada um e opte por interações que sejam semelhantes à individualidade do grupo.

Veja, abaixo, alguns modelos de dinâmicas de motivação para implementar em sua empresa.

Dinâmica do espelho

O principal intuito da dinâmica é a auto-confiança e o aumento da autoestima dos participantes. A realização da atividade deve ser feita em grupo, inclusive com os gestores da loja. É recomendável ter um intermediador fixo para a condução, que não participará da exercício.

Como organizar?

Deposite pequenos papéis em branco em uma caixa, que pode ser algum caixote adaptado. Acople um pequeno espelho na tampa da caixa, de modo que ninguém consiga visualizá-lo.

Faça uma fila e, antes de chamar o primeiro participante, explique que eles terão que sortear um nome na caixa e falar o que pensam sobre aquela pessoa. Nesse instante, pode haver alguma exaltação receosa, mas trate de controlar e dizer que é tudo muito simples e imparcial.

Assim que o funcionário supostamente sortear algum nome, ele abrirá o papel em branco em cima de um espelho. É nesse momento que ele descobre que, na realidade, deve falar de si próprio, exaltando-se ou dizendo o que precisa melhorar.

Colaboradores participando de dinâmicas de motivação.
Além de unir a equipe, as dinâmicas geram momentos de lazer e de descontração.

A surpresa e o espanto quando o participante descobre o objetivo da dinâmica serão evidentes. Por isso, não “saia do personagem” e chame o próximo, deixando subentendido que o integrante falou de outra pessoa qualquer, e não de si próprio.

Resultados

Pode ser um momento bastante emotivo, seja de risadas ou de choro. A dinâmica proporcionará uma leitura própria de cada um, exteriorizando suas qualidades, defeitos e pontos que eles entendem que precisam melhorar. Talvez seja esse “empurrãozinho” que esteja faltando para uma mudança de conduta e, consequentemente, aumento da motivação.

Gamificação

A gamificação não é uma atividade única, e sim um projeto a longo prazo. “Gamificar” significa trazer a dinâmica do universo dos jogos à realidade do trabalho. Ou seja, adaptar a estrutura de “trabalho e recompensa”, característica dos games, para um método de bonificação interativo entre os funcionários.

Como organizar?

Não há um método único. Portanto, cabe ao gestor elaborar a melhor dinâmica de pontuação e os prêmios aos que alcançarem o objetivo.

Aos vendedores, é possível mensurar pela quantidade de vendas e novos clientes, por exemplo. Se aquele consumidor, atendido por algum funcionário, voltar à loja nos próximos três meses, pontos para o profissional. Às vendas, a cada nova saída de produtos, mais pontos.

Clique na imagem para baixar o e-book com o Kit de Planejamento Anual.

Os prêmios não precisam ser só ao fim da dinâmica ou do ano, eles podem ser periódicos e não necessariamente em dinheiro. Todo funcionário gostaria de ter horas livres durante o dia, não é mesmo? Ou até dias em que precisam ter um horário mais flexível. Converse com a equipe e estabeleça o melhor método de pontuação.

Para ficar mais interessante e divertido, a tabela de pontuação pode ser personalizada, com o apelido ou com a caricatura de cada participante. Ao vencedor, pode haver, além da recompensa estipulada, uma pequena celebração, com direito a troféu ou medalha e um pequeno coffee break de poucos minutos.

Resultados

Funcionários motivados por metas e bonificações mantêm uma conduta muito mais enérgica e focada, a fim de serem recompensados. Haverá mais produtividade e desejo de alcançar os objetivos propostos. Mas tenha cuidado para a “disputa” não perder a descontração.

O empreendedor Nilton Melo é um pesquisador de tema, e em um vídeo postado em seu canal no YouTube demonstra a funcionalidade dos jogos no trabalho e em outros âmbitos da vida. Confira:

Dinâmica da Carta

Uma atividade simples, mas bastante efetiva para elevação da autoestima e da motivação. Ela deve ser feita por toda a equipe, afinal a intenção também é aproximar as pessoas e unir o grupo.

Como organizar?

Reúna todos os integrantes na empresa e distribua um papel e caneta a cada um deles. Primeiro, comece perguntando a alguns quais eram as maiores dificuldades que eles tinham logo ao entrarem na organização. Espere que respondam e dê liberdade para mais pessoas que desejarem relatar a sua experiência.

Depois, peça para que cada um diga quais são as dificuldades atuais encontradas na empresa, junto de todos os méritos que eles acreditam ter alcançado em seu tempo de empresa. Mais uma vez, dê a oportunidade de mais pessoas participarem.

O próximo passo é pedir para que eles escrevam todos esses medos, dificuldades e méritos nas cartas, a fim de projetarem as mudanças que desejam. Assim que todos tiverem finalizado, recolha as folhas e guarde-as em algum local seguro e que só você terá acesso. Por uma questão ética, não é recomendado ler os relatos.

A dinâmica não termina por aí. Após 45 dias – ou algum período que melhor se encaixa às mudanças de rotina da empresa -, reúna todos os participantes novamente. Peça para que eles leiam suas cartas, com o intuito de analisar o que mudou e o que foi cumprido sobre o que cada um escreveu.

Pessoas reunidas em círculo para dinâmica de motivação.
O círculo permite que todos interajam e é uma ótima forma de promover dinâmicas.

Se alguém se prontificar para ler, permita. Porém não estimule ou indique que alguém faça isso no meio de todos. Isso pode causar constrangimento e estragar o conceito da dinâmica.

Resultados

Os frutos a serem colhidos serão extremamente vantajosos para os funcionários e a empresa. Se o colaborar conseguiu superar aquilo que, há um mês e meio, tinha dificuldades, isso trará um sentimento de conquista e superação, o motivando cada vez mais para os futuros desafios.

As dinâmicas de motivação devem ser elaboradas de acordo com muita pesquisa e conhecimento da personalidade dos funcionários. Para entender como realizar essa análise, é fundamental investir em comunicação e gestão de equipe. Para receber mais conteúdos sobre gestão de pessoas e sobre o segmento calçadista, assine a newsletter da Daniel Atacado e fique de olho no e-mail!


1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *