Mulher dentro de um carrinho de compras com um calçado nas mãos.
Dicas ao Lojista

O perfil do consumidor de calçados femininos em 2021

Um dos requisitos mais importantes para vender bem é entender o público-alvo do seu negócio. O perfil do consumidor de calçados femininos, por exemplo, está em constante mudança, exigindo que o lojista permaneça atualizado com as tendências para atender às demandas das clientes.

Com a ascensão da internet, tornou-se mais rápido elaborar relatórios com base nas características e nos comportamentos do consumidor, independentemente da idade. Afinal, o marketing digital consegue, hoje, coletar muitas informações sobre os usuários, mesmo que eles apenas acessem uma única página de determinado site.

Nesse texto, você encontra a síntese de várias pesquisas disponibilizadas sobre qual o perfil de consumidor feminino do futuro, a fim de preparar seu negócio para as mudanças que estão acontecendo no comportamento das clientes. Boa leitura!

Banner para a loja virtual da Daniel Atacado.

O que é perfil do consumidor?

Antes de acessar os dados sobre o perfil de consumidor de calçados femininos, é válido compreender o que significa o termo. 

Podemos sintetizá-lo como um conjunto de características, de comportamentos e de valores observados em um grupo de pessoas específico. Entender qual perfil de consumidor você atenderá é fundamental para que as ações da loja de calçados sejam estruturadas com assertividade e excelência.

Muitas pesquisas ainda levam em consideração fatores culturais, sociais, pessoais e psicológicos para traçar o perfil do consumidor. Dessa forma, os dados se tornam mais embasados e entram na experiência de vida do grupo de pessoas.

Compreendendo o termo, é o momento de entrar em pesquisas que englobam a consumidora de calçados femininos, seja direta — com dados do segmento — ou indiretamente — falando sobre moda ou sobre comportamento, por exemplo.

Tendências de consumo de calçados e de moda em geral

É importante ter em mente que trabalhar com calçados é, também, trabalhar com moda. Muitas clientes buscarão, na sua loja, produtos que estejam alinhados às tendências atuais.

É válido destacar que, antigamente, a moda era ditada principalmente pelas passarelas. No entanto, com o avanço da tecnologia, influencers digitais, youtubers e outros profissionais da área da comunicação estão impactando diretamente nos gostos e nos desejos das consumidoras.

Por isso, é importante consumir relatórios de tendências atuais e ficar atento às atualizações das fontes de informações conforme o tempo passa.

No Brasil, há algumas organizações que coletam dados e montam esses documentos, analisando padrões de consumo das pessoas em um determinado período. A maioria dos documentos fica disponível para consulta online e gratuita.

Sebrae Inteligência Setorial

Página do SEBRAE Inteligência Setorial.
Página do SEBRAE Inteligência Setorial, com informações para vários segmentos.

O SEBRAE Inteligência Setorial, por exemplo, elabora boletins de tendência dos mais diversos segmentos. No processo de traçar um perfil do comprador de calçados femininos, alguns deles podem ser de grande ajuda.

Os relatórios de tendência também ajudam a entender os fatores mais importantes para os clientes e o que é levado em consideração no momento da compra de produtos do segmento de moda. Confira alguns disponibilizados pelo Sebrae:

Moda sustentável

O boletim sobre moda sustentável é superatual e traz tendências que serão cada vez mais visíveis no mercado, principalmente no período pós-pandêmico, visto que ele alterou de forma significativa o comportamento de praticamente todas as pessoas.

O documento ainda reúne cases e dicas para lojistas que querem desenvolver negócios pautados na moda sustentável.

Moda agênero

Cada vez mais, os padrões sociais são contestados pelas gerações que estão surgindo. Os novos consumidores, grupo formado principalmente por Millennials (nascidas entre 1980 e 1994) e pela Geração Z (nascidas entre 1995 e 2015), estão deixando de acreditar que a separação entre moda feminina e masculina é necessária.

O boletim do Sebrae sobre moda agênero reúne especialistas e informações para entender o que o termo significa e como colocá-lo em prática.

Tecidos sustentáveis

Para além de uma moda sustentável, o Sebrae também destaca como tecidos ecológicos são uma das grandes tendências do setor de moda, de forma que calçados também serão produzidos com o material.

Tênis feito completamente com tecidos sustentáveis.
Produtos feitos com tecidos sustentáveis são uma das grandes tendências para o futuro.

Marcas como a Insecta Shoes já trabalham nesse ramo há anos e são a prova de que a preocupação com a natureza começará a refletir, também, no comércio.

Comfort fashion

Os especialistas percebem, cada vez mais, a tendência de buscar vestimentas confortáveis nos consumidores. Muitas vezes, entre um calçado bonito e um gostoso de usar, o cliente optará pelo segundo.

No boletim, você encontra dicas de como preparar sua vitrine com produtos que sejam agradáveis e confortáveis, além de entender com mais detalhes sobre o tema.

Consumidor 4.0

Essa é outra pesquisa muito importante estruturada pelo Sebrae e o foco do artigo sobre o consumidor 4.0 é levantar informações que exploram o comportamento do cliente pós-pandemia.

A leitura é fundamental para compreender o que esperar, agora que o comércio está voltando ao funcionamento.

Além dos relatórios apresentados acima, existem muitos outros boletins de tendências disponíveis no site do Sebrae. Acompanhar o canal é uma ótima forma de se manter informado e de se preparar para as mudanças que estão acontecendo.

Abicalçados

A Abicalçados, por meio dos relatórios setoriais, também disponibiliza dados que podem ajudar no processo. Em 2020, por exemplo, a produção de calçados no Brasil foi predominante para materiais como plástico, borracha e sintéticos, de acordo com a associação.

Estante com quatro chinelos de tira larga de plástico.
Os calçados de plástico ocupam o topo da produção no Brasil.

Além disso, a produção de calçados femininos (entre os identificados por gênero), representou 65,6%, contra 22,4% de masculinos e 12% de calçados infantis. Os chinelos foram os modelos mais produzidos, representando 44,8% do total em 2020.

Os modelos casuais e sociais não ficaram atrás: totalizam 40%. Em terceiro lugar na escala de produção, encontram-se os calçados esportivos, com apenas 9,2%.

Por meio dessas análises, é possível identificar os tipos de calçados que mais fazem sucesso, segmentando para diversos públicos diferentes, essencialmente o feminino. Isso ajuda no planejamento da demanda e das compras, refletindo também na gestão de estoque das lojas.

Tendências de busca online

Outro fator importante, que pode ajudar a entender o perfil do consumidor feminino, são as tendências de busca online. Elas representam os assuntos que mais atraem o público, que cada vez mais está presente no ambiente digital

Analisando essas informações, a empresa consegue traçar uma estratégia de comunicação com cada tipo de comprador de calçados e definir seu posicionamento online.

Pessoa buscando produtos pelo notebook.
As tendências de busca ajudam a decifrar o perfil de interesses dos potenciais clientes da sua loja.

Google Trends

O Google Trends é um relatório de busca online totalmente customizável. Você consegue inserir diversos termos e realizar comparações entre eles, observando o que está em ascensão no buscador mais usado do mundo e o que está deixando de ser tendência de pesquisa.

Uma dica é pesquisar diversos tipos de calçados e observar quais estão sendo mais pesquisados no Google. Dessa forma, pode colocar o modelo em estoque para caso alguém o procure na sua loja.

Relatório de tendências do Pinterest

O Pinterest se identifica como uma plataforma de inspirações, que permite a publicação de imagens e de vídeos curtos. Anualmente, a rede social publica um relatório de tendências com as pesquisas que estão crescendo, fornecendo dados importantes sobre o perfil do consumidor para diferentes segmentos.

Para o segmento de moda, o Pinterest também destaca o bem-estar, com foco especial no conforto chique. Além disso, também aponta itens de vestuário feitos à mão como uma forte tendência para o futuro.

Leia o documento e tire insights que podem ajudar a encantar e atrair o público feminino, a fim de conquistar o perfil de consumidor.

Banner para o kit de planejamento anual para lojistas.

O perfil do consumidor pós-pandemia

Com a pandemia causada pela COVID-19, o comportamento das pessoas foi completamente alterado. Logo, é impossível não analisar os impactos que o acontecimento gerou em diferentes perfis de consumidor.

Para entender melhor o que esperar dos clientes no futuro, podemos utilizar o relatório da World Global Style Network (WGSN), uma empresa especializada em identificar tendências.

O consumidor do futuro

O documento produzido pela WGSN identifica tendências de comportamento que serão consolidadas até 2022. Portanto, engloba informações relevantes para o futuro.

Segundo a marca, os principais sentimentos do consumidor serão o medo, causado pela incerteza ambiental e financeira; a dessincronização social, que marcará pessoas desempenhado atividades em momentos completamente diferentes; a resiliência equitativa, a qual resultará em uma busca pela aceitação emocional; o otimismo radical, uma emoção corajosa, mesmo em tempos cheios de dúvidas.

Esses sentimentos destacam, sobretudo, mudanças e sensações mais difíceis de serem vivenciadas. Por isso, a WGSN ainda destaca que o foco deve ser na verdade, não nas vendas.

Em outras palavras, os diálogos entre vendedores e consumidores tendem a ser mais frequentes. Eles buscarão conhecer mais os produtos, terão dúvidas, e a honestidade será a melhor resposta. O objetivo deve ser vender soluções reais, não placebos.

Vendedor apresentando calçados para clientes.
Os vendedores de calçados devem conversar com honestidade com os consumidores do futuro.

Se um chinelo, por exemplo, tende a machucar o pé quando usado por muitas horas, avise o cliente e deixe-o ciente. 

Para além das emoções, a WGSN ainda sintetiza os perfis de consumidor em três categorias. Compreenda cada uma delas:

Estabilizadores

Os Estabilizadores é um grupo formado pela Geração X (nascidos entre 1965  e 1979) e por Millennials (nascidos entre 1980 e 1994). São pessoas que cresceram em um mundo conectado e marcado pela agilidade.

No entanto, no futuro, essa dinâmica será deixada de lado. Os Estabilizadores partem em busca do equilíbrio, diminuindo o ritmo e deixando de cultivar a produtividade.

As melhores estratégias para se comunicar com esse grupo é optar pela simplicidade: crie um ambiente na loja de calçados minimalista, calmo, sem muitos elementos visuais e sonoros.

Esse perfil de consumidor não quer mais ser levado em uma jornada: ele busca simplicidade, clareza e economia de tempo. Por isso, o processo de compra deve ser fácil e sem muitos estímulos que possam roubar o foco do cliente, pois certamente o afastará.

Comunitários

Também composto por pessoas da Geração X e pelos Millennials, os Comunitários são pessoas ávidas em diminuir os compromissos. O principal propósito do grupo é criar raízes e desenvolver o senso de pertencimento social.

Pessoas de várias idades se abraçando.
O principal desejo dos Comunitários é o pertencimento social.

Os consumidores comunitários buscarão por calçados e outros produtos de cunho sustentável, preocupando-se com o viés ambiental de suas decisões. Quando eles forem às compras, escolherão comércios hiperlocais, ou seja, querem lojas fundadas em sua própria sociedade.

Novos otimistas

Por fim, os Novos otimistas é um grupo composto de pessoas de diferentes faixas etárias: ele engloba dos Baby Boomers (nascidos entre 1944 e 1964) à Geração Z.

Seu propósito é único e extremamente forte, visto que buscam, sobretudo, a felicidade. Essas pessoas tendem, principalmente, a comprar pela internet.

Na missão de pagar menos, os consumidores do grupo migrarão para lives a fim de encontrar promoções, descontos e produtos de edições limitadas. Eles também evitarão lojas físicas, mas querem provar os calçados. A solução, portanto, é investir em tecnologia e criar lojas virtuais com provadores em realidade aumentada.

Os Novos otimistas também desejam processos de compra simples. Aplicativos e sites devem ter um design limpo, minimalista e prático.

Observar em que faixa etária suas clientes se encaixam e em qual perfil de consumidor você pode englobá-las é fundamental para preparar sua loja de calçados para o futuro.

Conteúdos sobre o segmento

A gestão de uma loja de calçados, como qualquer segmento de moda, exige pesquisa constante sobre o mercado e suas tendências. Dessa forma, os lojistas conseguem se preparar para atender os clientes com excelência.

A Daniel Atacado busca compartilhar informações que possam ajudar lojistas de calçados a evoluir suas práticas de gestão e alcançar resultados cada vez melhores nas vendas.

No blog da marca, você encontra informações e novidades sobre o segmento calçadista, que ajudam na hora de organizar a loja e de aumentar o faturamento.

Como preparar sua loja de calçados?

O primeiro passo na hora de preparar sua loja de calçados para se adequar às mudanças no perfil de consumidor feminino é estudar e filtrar as informações reunidas. Afinal, nem todos os dados são aplicáveis ao seu negócio. 

Depois, é preciso elencar ações para serem desenvolvidas, assim como o investimento necessário para torná-las reais. Dessa forma, estabelece prioridades e cuida da saúde financeira da sua loja.

Ir com calma e diluir as mudanças conforme o lucro chegar é fundamental para evitar prejuízos. Por fim, não se esqueça de continuar se informando, pois novos comportamentos passam a existir diariamente na sociedade.

Na hora de realizar a gestão da loja de calçados, contar com bons materiais é essencial. A Daniel Atacado possui uma página com conteúdos gratuitos para baixar e utilizar no seu negócio. Clique na imagem abaixo e acesse!

Banner para a página com materiais gratuitos do blog da Daniel Atacado.