Imagem de várias sacolas sustentáveis, com um ramo de planta saindo de dentro delas.
Dicas ao Lojista Gestão de Negócios

Loja sustentável: saiba como transformar seu varejo

Ter uma loja sustentável de calçados vai muito além de apenas investir em produtos cujo o processo de criação conte com práticas ecologicamente corretas. Ademais, é possível aplicar valores socioambientais no dia a dia, na rotina do seu negócio.

Essa questão tem ganhado cada vez mais notoriedade justamente porque os novos consumidores a levam em consideração antes de finalizar uma compra e optar por uma marca. Para eles, é importante que haja um compromisso ambiental por trás do item desejado.

Continue neste texto se a temática te interessa e você está buscando formas de melhorar a relação entre a sua loja e o meio ambiente. Boa leitura!

Como tornar sua empresa sustentável?

Para muitos empreendedores, investir em práticas sustentáveis, pelo menos em um primeiro momento, pode significar uma nova despesa financeira. Acontece que, em algumas situações, o investimento inicial pode até ser significativo, mas a longo prazo ele acaba sendo satisfatório — pensando tanto no caixa do negócio quanto no meio ambiente.

Por outro lado, existem também atitudes simples que, quando acordadas em conjunto com toda a sua equipe de colaboradores, por exemplo, não custam nada financeiramente e podem até ajudar a poupar uma quantia ao final do mês, influenciando no resultado do balanço das contas.

Abaixo, listamos algumas dicas que podem servir como um pontapé inicial nesses dois sentidos, sejam envolvendo dinheiro ou não.

Analise a infraestrutura do imóvel

Começando com um check-up geral, a análise do espaço onde está situada a sua loja é importante. Se for um prédio novo, pode ser que tudo nele tenha sido planejado a fim de te ajudar a economizar a partir de materiais sustentáveis.

Imagem de uma calculadora e uma caneta, em cima de boletos.
Avaliar a situação do imóvel pode ajudar na redução de contas.

Já no caso de um prédio mais antigo, pode ser que o sistema elétrico não esteja completamente adequado, provocando falhas na corrente de energia que influenciam nos gastos. No caso de aparelhos que exigem um pouco mais de potência, como chuveiros e ar-condicionado, é preciso que exista uma fiação apropriada. Caso contrário, os kWh/mês ultrapassarão o uso comum.

A mesma situação pode ser aplicada em relação ao encanamento d’água. Nem sempre os vazamentos são visíveis, já que podem estar em partes internas e são bem comuns em áreas como o banheiro e a cozinha.

Lembrando que energia e água provém do meio ambiente, e realizar essas vistorias é uma forma de economizar ambas e, consequentemente, retardar a escassez. Na sequência, falaremos mais sobre isso.

Utilize lâmpadas de LED

Ao pensar em economizar energia, uma boa saída que tem sido adotada na prática não só por empresas, mas também por pessoas físicas, são as lâmpadas de LED.

As opções mais comuns e baratas a curto prazo são as lâmpadas incandescentes, porém elas não só gastam mais energia como também contam com uma vida útil menor, de apenas 800 horas.

Imagem de um homem colocando uma lâmpada LED na luminária.
Ao longo prazo, as lâmpadas de LED são um investimento rentável, pois consomem menos energia.

Ao passo que as lâmpadas de LED produzem a mesma quantidade de lúmens (fluxo luminoso), mas com um gasto energético menor. Na prática, para gerar o equivalente a 1300 lúmens, basta uma lâmpada de LED de 20 watts, enquanto a mesma luz só pode ser gerada por uma incandescente de 70 watts — essa diferença de 50 watts vai ser expressiva na fatura da sua conta.

No México e na Itália, as lâmpadas de LED vêm sendo utilizadas na iluminação pública há mais de 10 anos. Na hora de buscar por elas, não se apegue ao preço de comercialização, pense na economia de energia futura.

Reduza o consumo de água

Quando falamos em energia, também falamos em água. Isso porque, inclusive no Brasil, o principal meio de fornecimento dela é através das hidrelétricas, que necessitam do líquido para a geração de energia.

Por mais que esse seja um assunto trabalhado na escola desde a infância, sempre vale a pena um novo alerta.

Imagem de uma torneira pingando.
Evitar gastar água de forma desnecessária é um dos pontos principais da sustentabilidade.

Para começar, mapeie o consumo de água, entendendo onde ela se faz necessária. Depois, vale criar sistemas para recolher a água da chuva, que pode ser utilizada na hora de higienizar a loja; inserir redutores de vazão nas torneiras ou arejadores, que fazem com que o ar se misture à água, dando a impressão de maior volume; instalar descargas econômicas nos banheiros; contratar limpezas a seco, entre outras ações.

Transforme a sua documentação para o digital

Se os processos da sua loja exigem muito papel, procure formas de fazer com que alguns deles migrem para o âmbito digital.

A folha de pagamento dos colaboradores, assim como extratos de transações bancárias, podem ser gerados em formato digital e enviados aos destinatários por meio de aplicativos como o WhatsApp, e-mails, etc. 

Além de reduzir a degradação ambiental, já que o papel também advém da natureza, a documentação digital estará protegida de riscos como incêndios e tornarão o ambiente mais organizado.

Gerencie os resíduos

Existir é gerar resíduos. Por isso, ter um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), documento que vai identificar desde o tipo até a quantidade de resíduos sólidos que são gerados pelo seu negócio, é importante. 

Essa ação é determinada pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, por meio da lei nº 12.305/2010, seção V, art. 20 ao 24.

O PGRS, como é conhecido, também vai apontar quais as práticas ambientalmente corretas podem ser adotadas pela empresa na hora da segregação, coleta, armazenamento, transporte, reciclagem, destinação e disposição final de tudo que, em um primeiro momento, é considerado lixo.

Trabalhe com embalagens ecológicas

O próprio nome já diz que as embalagens ecológicas possuem a responsabilidade de melhorar o equilíbrio natural. Adotá-las também é uma forma de diminuir os impactos nocivos causados à biodiversidade ambiental, ainda mais se forem descartadas e não reutilizáveis.

Sem falar que elas são um dos maiores atrativos para quem possui um estilo de vida mais saudável.

Normalmente, os embrulhos tradicionais tendem a ser feitos de plástico convencional, que pode levar cerca de 500 anos para se decompor. Muitos acabam indo parar no mar e sendo responsáveis pela morte de diversos animais, como as tartarugas.

Enquanto que as embalagens ecológicas podem ser produzidas a partir de materiais orgânicos, recicláveis, biodegradáveis ou reaproveitáveis. Um exemplo bem famoso é a ecobag, a sacola reutilizável que costuma ser um sucesso em supermercados, ao invés das sacolinhas plásticas.

Imagem de uma mulher andando na rua e utilizando uma ecobag.
No lugar das embalagens de plástico, invista em opções de embrulho e sacolas sustentáveis, como a ecobag.

Escolha bem os seus fornecedores

Por fim, o melhor de tudo é que na hora de tornar a sua loja sustentável, você pode imprimir esse compromisso não só na rotina, mas também nos calçados que você vende, optando por produtos sustentáveis.

Para isso, escolher um bom fornecedor, que trabalhe com marcas que levantem essa bandeira, é essencial. A Daniel Calçados, por exemplo, é revendedora exclusiva da empresa Grendene, uma marca comprometida com o futuro e, consequentemente, com o meio ambiente.

Para se ter ideia, todos os calçados da empresa são veganos e 100% recicláveis, atóxicos e livres de substâncias perigosas ou que ocasionam alergia. No caso das embalagens, elas são de papel e certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC), que garante a origem da matéria-prima a partir do manejo responsável das florestas.

Para conhecer mais sobre a Grendene por meio da Daniel, além dos produtos disponíveis na nossa loja virtual, é só clicar no banner abaixo. Ajude a transformar o futuro! ♻️

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.