Um homem e uma mulher, ambos brancos, olhando um calçado.
Dicas ao Lojista

Glossário: saiba o nome de cada uma das partes do calçado!

Se você tem uma loja de calçados, na hora de realizar uma boa venda, informação nunca é demais! O conhecimento de alguns detalhes é extremamente importante para encantar o cliente e, quem sabe, fazê-lo fechar uma compra. Pensando nisso, neste texto você terá a oportunidade de descobrir o nome de cada uma das partes do calçado.

Ainda que os modelos disponíveis no mercado se diferenciem um do outro, algumas denominações se mantêm idênticas independentemente. Portanto, para ampliar o seu glossário no ramo, é só continuar a leitura!

Clique para ler nosso conteúdo sobre como vender online.

Palmilha

No acabamento interno do calçado, encontra-se a palmilha — uma das terminologias mais conhecidas quando se fala nas partes que constituem um calçado.

Elas têm como função colaborar com a saúde dos pés e do corpo, pois ajudam na adequação dos membros ao produto, evitando possíveis dores e desconfortos.

Imagem de uma palmilha de calçado.
A palmilha ajuda na adequação do calçado aos pés e garante mais conforto.

Alma

Pode soar estranho dizer que um calçado tem alma, mas saiba que, sim, eles têm. No entanto, a alma aqui diz respeito a uma peça que pode ser encontrada no centro da palmilha, responsável por garantir um caminhar firme, assim como sustentar a planta do pé.

É possível que ela seja fabricada a partir dos seguintes materiais: aço, madeira, plástico ou arame.

Cabedal

O cabedal nada mais é do que a parte de cima de qualquer calçado, ou seja, a parte que cobre os pés, seja completamente ou não, protegendo-os e fornecendo conforto ao usuário.

Biqueira

Existem vários tipos de biqueira. Contudo, o objetivo principal delas é proteger os pés, evitando possíveis acidentes. 

Podem ser feitas de aço, PVC e composite, sendo bem comuns em modelos voltados à segurança do trabalho e momentos de aventura, como o trekking. Elas estão situadas na parte dianteira do calçado, embaixo do cabedal.

Contraforte

Você já notou que alguns modelos de sapatos possuem a parte de trás do calcanhar um tanto quanto dura? Essa característica é proposital e garante um bom encaixe, assim como uma boa sustentação. O nome que se dá a esse componente é contraforte

Contraforte de um calçado.
O contraforte é a parte traseira do calçado que fica em contato com o calcanhar.

Para garantir a estrutura do modelo, ele pode ser de E.V.A., sendo comum em sapatilhas e outros calçados rasteiros; mas também de tubox, encontrado com frequência em diversos tipos de saltos altos.

Salto

Por falar em salto, eles são identificados com mais facilidade, mas levam esse nome por proporcionarem um distanciamento entre o solado do modelo e o chão, garantindo alguns centímetros a mais de altura a quem os utiliza.

Também podem ser encontrados tipos, como salto flat, salto agulha, salto sabrina, salto anabela, etc.

Sola

De forma sucinta, podemos dizer que a sola — ou solado — é a parte externa do calçado que se mantém em contato com o chão. 

Contudo, para além disso, é importante saber que elas tendem a variar de material e até mesmo estilo, o que vai depender do propósito que o produto pretende cumprir, assim como o público ao qual ele se destina.

Isso porque há tipos de solas de calçados comuns em modelos masculinos, assim como há solas predominantemente encontradas em femininos.

Imagem de um homem pisando em pregos com o tênis e, do outro lado, um homem pisando em pregos descalço.
A sola, ou solado, tem como função proteger os pés de qualquer intempérie ao caminhar sobre o chão.

Entressola

Entre a sola e a palmilha de um calçado, está a entressola. Produzida a partir de materiais semelhantes à espuma, tem como objetivo fazer com que os impactos sejam dispersos ao pisar, assim como garantir o controle dos movimentos, sendo comuns em tênis.

Gáspea

A gáspea corresponde à parte da frente de um calçado, aquela que cobre os dedos. Elas podem ser classificadas em “gáspeas altas”, quando chegam a alcançar um pedaço maior do pé, e em “gáspeas baixas”, se possibilitam a visualização do começo dos dedos.

Um claro exemplo: mocassins costumam ter gáspeas altas, ao passo que scarpins tendem a apresentar gáspeas baixas.

Forro

Presente na parte interna do calçado, o forro envolve os pés e proporciona o acabamento interno, reforçando a estrutura do produto, ocasionando conforto e absorvendo a umidade.

Pode ocupar toda a superfície de um modelo, ou apenas a região do calcanhar ou da gáspea.

Ilhós

Sabe os buraquinhos nos quais se passa o cadarço de um tênis, ou o cordão de algum outro modelo de sapato? Eles são chamados de ilhós.

Esses anéis podem ser encontrados em diversas medidas, assim como diferentes formatos — os redondos e os hexagonais são uns dos mais comuns!

Ilhós sendo furados em um calçado..
Exemplo de ilhós sendo acrescentados em um calçado.

Orelha

É a parte onde os ilhós são colocados para a introdução do cordão ou cadarço.

Lingueta, língua ou pala

Com o propósito de auxiliar o cabedal a garantir o conforto necessário ao usuário, a lingueta, língua ou simplesmente pala, pode ser fina e flexível, mas também grossa. Ela serve para proteger os pés do cordão ou cadarço.

Vira

Por fim, outra parte do calçado cujo nome e função deve ser compreendido é a vira. Ela é uma tira acrescentada em torno dos calçados, que beira a sola, sendo um componente de acabamento. Ela pode ser colada ou costurada ao produto.

Mulher em um carro, com os pés para fora, utilizando um mocassim.
Exemplo de vira na cor bege, contornando o calçado preto.

São muitas as nomenclaturas que um simples calçado pode apresentar. O fato é que, ao atender um cliente e apresentar um produto, conhecê-las pode fazer toda a diferença. Sem falar que é uma forma de demonstrar que, sim, você tem autoridade no assunto.

Quer receber mais dicas sobre o universo dos calçados diretamente na caixa de entrada do seu e-mail? Preencha o formulário abaixo e não perca nenhuma novidade no blog da Daniel Atacado!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.